A Wine day in the French Village of Saint-Émilion

Finalmente detalhes da viagem que fizemos para a região de Bordeaux, na França em setembro do ano passado! A capital mundial do vinho faz mesmo jus à fama, que lugar encantador! Tudo ali respira vinho, arte e história. Nenhuma outra região do mundo concentra uma produção tão extensa de vinhos de elevada qualidade, especialmente os tintos. Para os amantes da bebida, a viagem é um deleite! E até quem não se familiariza muito vai se apaixonar! Passamos um final de semana em Bordeaux e fizemos um bate e volta delicioso para a pitoresca Saint-Émilion, vilarejo medieval rodeado por vinículas, onde toda essa fama mundial de excelência do vinho francês começou!

Finally, details of the trip we made to the Bordeaux region in France, September last year! La Cité du Vin deserves the name, what a charming place! Everything there breathes wine, art and history. No other region in the world concentrates such an extensive production of high quality wines, especially reds. For drink lovers, the trip is such a dream! And even those who don’t get very familiar with wines will fall in love! We spent a weekend in Bordeaux and made a delightful day trip to Saint-Emilion, a medieval village surrounded by wineries, where all this worldwide fame of French wine excellence began!

Foi um ensolarado e fresquinho sábado de final de verão, cuja manhã começou no Marché des Capucins, o mercadão municipal de Bordeaux, onde todos os sábados os locais se dirigem para comprar especiarias e comer ostras fresquinhas acompanhadas de um bom vinhozinho branco da região. Eu fiquei encantada em sentir a atmosfera envolvente do marché, frequentado por tantos moradores de todas as idades comprando ou passeando por entre os produtos locais de encher os olhos. Experiência fascinante.

Tomamos um típico café da manhã francês e depois já emendamos o brunch com direito à ostras frescas acompanhadas de uma taça de vinho local por 7,50 euros! Merci, Bordeaux!

It was a fresh sunny Saturday in the end of summer, whose morning began at the Marché des Capucins, the Bordeaux’s municipal market, where every Saturday the locals go to buy spices and eat fresh oysters with a good French white wine. I was fascinated to feel the market’s atmosphere, frequented by so many locals of all ages buying or walking through the products. What a experience!

We had a typical French breakfast and then a brunch with fresh oysters with a glass of local wine for 7.50 euros! Merci, Bordeaux!



Em seguida fomos para a estação de trem de Bordeaux rumo à Saint-Émilion, a 40km da cidade, menos de uma hora de trem, para um charmoso sábado em meio à parreiras e muito vinho!

Then we went to the Bordeaux train station on the way to Saint-Emilion, 40km from the city, less than an hour by train, for a cozy Saturday in the middle of vineyards and lots of wine!

O passeio já começa no trem. Quando a viagem se aproxima de Saint-Émilion, os vinhedos começam a surgir pela janelinha por todos os lados. O trem passa literalmente no meio das plantações!

Um dado curioso é que Saint-Émilion tem em torno de 2.700 habitantes e cerca de 900 vinículas! Ou seja, pra cada três habitantes há um chatêau! Tudo ali gira em torno da vinicultura, não à toa, a região, em 1999, se tornou a primeira paisagem vitícola classificada pela UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade.

The tour starts on the train. When the train is almost in Saint-Emilion, the vineyards begin to appear through the window on all sides. The train goes literally in the middle of the plantations!

A curious fact is that Saint-Émilion has around 2,700 inhabitants and around 900 chatêaux! It means, for each three inhabitants there is a chatêau! Everything here revolves around winemaking, not surprisingly, the region, in 1999, became the first viticultural landscape classified by UNESCO as a World Heritage Sit.


Essa plaquinha fica em frente à estação de trem. Os 15 minutos de caminhada até o centrinho da cidade é por uma rua rodeada de Chatêaux. Todo o complexo envolvendo o casarão e plantações de vinho leva o nome de Chatêau, uma vez que antigamente todos os palácios estavam envolvidos com a produção de vinho.

This sign is in front of the train station. The 15 minute walk to the Old Town is along a street surrounded by Chatêaux (The entire complex involving the palace and wine plantations takes the name of Chatêau).



Não tem como não se sentir francesinha com uma boina! Eu gosto de entrar no clima do local que estou viajando e foi nesse dia em que usei essa boina pela primeira vez e não tirei mais! Aliás, as boinas são o acessório desse inverno europeu! Ótimas para atualizar os looks invernais sem gastar muito. Incrível como dão um toque charmoso no ato, com aquela vibe boêmia que eu tanto amo. A blusa também atualizou a boa e velha camiseta branca, ou ainda pode-se dizer que ao deixar as mangas curtas, atualizou o bom e velho suéter, que sai do comum em shape camiseta e tecido com pelinhos. A peça foi perfeita pro clima fresquinho, em torno dos 17 graus.

It’s impossible not to feel like a French girl wearing a beret! In fact, berets are the accessory of this Winter! It’s great for updating the outfits without spending much. Amazing how the berets give a charming touch, with that bohemian vibe I love so much. 


E fomos fazendo vários cliques pelo caminho até o centrinho..

Lots of pictures on our way to the Old Town..



Uvas prontinhas pra serem colhidas! As variedades tintas mais plantadas na região são Merlot, a Cabernet Sauvignon e a Cabernet Franc. Demos a sorte de ir algumas semanas antes da colheita, então todas as parreiras estavam carregadas de uvas docinhas, prontas pra virarem o melhor vinho do mundo! O solo cheio de calcário e o clima ameno fazem da região de Bordeaux o local perfeito para o crescimento das uvas.

Grapes ready for harvest! The most planted red grapes in the region are Merlot, Cabernet Sauvignon and Cabernet Franc. We were luck enough to go a few weeks before the harvest, so all the vines were full of sweet grapes, just about to become one of the best wines in the world! The soil full of limestone and the mild weather make the Bordeaux region the perfect place for grapes to grow.


Há indícios de que os romanos já plantavam uvas nessa região desde 43 a.C !

There’s vestiges that the Romans already planted grapes here since 43 BC! 


Finalmente, no centrinho de Saint-Émilion. A cidadezinha medieval já nos recebe com vários restaurantes, numa atmosfera super acolhedora.

Finally, in the center of Saint-Émilion. The medieval town welcomes us with lots of restaurants, in a super cozy atmosphere.


Igreja Monolítica de Saint-Émilion, esculpida em uma única rocha!

Monolithic Church of Saint-Emilion, built on a single rock!


A principal praça do vilarejo, ao lado da catedral, onde os turistas sentam, pedem um vinho e curtem a atmosfera do local.

The main square of the village, next to the cathedral, where tourists take a table, order a french wine and enjoy the athmosphere.


A praça vista do alto, subindo uma ladeira ao lado da catedral. É aí que se tem uma vista panorâmica da charmosa Saint-Émilion. As construções datadas da Idade Média, padronizadas em pedras de calcário em cor ocre parecem pintura! Coisa linda de viver!

A panoramic view of the charming Saint-Émilion! The buildings dating from the Middle Ages, patterned on limestone in ocher color look like paint! What a view!


O vilarejo é cheio de colinas, com ruelas de pedra cheias de lojas de vinho e macarons! Sim, os famosos macarons franceses surgiram em Saint-Émilion! Mas não vá a procura dos coloridos macarons a la Ladurée. Os originais não enchem tanto os olhos, mas pode apostar que são mais gostosos que os vendidos pelo mundo afora! Em Saint-Émilion eles são um biscoito de amêndoas, sem recheio, crocante por fora e macio por dentro, assados todos os dias nas cozinhas das padarias locais.

Tudo começou no século XVII, mais especificamente em 1620, quando as freiras que ali viviam começaram a vender seus biscoitos de amêndoas para se sustentarem.

Better – and before! – than the bright colored Ladurée macarons, there were the original French macarons – sweet almond wafers made my nuns, the Ursulines, in 17th century France, in the medieval village of Saint-Émilion!  The recipe was passed down through local families, and generation after generation and nowadays we can still find the original French macarons being made in the bakeries of the village! The village has been making the same macaron recipe since 1620.  It’s called Véritables Macarons de Saint Emilion, which literally means “the real macarons of Saint Emilion”.




Procuramos o escritório de turismo da cidade em busca de um entre os cem Chatêaux abertos à visitação nos arredores de Saint-Émilion. E escolhemos meio às cegas o Chatêau Villemaurine, aberto no dia, localizado a 15 minutos a pé do centro da cidade. Pagamos cerca de 20 euros por pessoa e a reserva foi feita ali mesmo no escritório de turismo.

Em Saint-Émilion há sua própria classificação de excelência dos vinhos. O Chatêau Villemaurine tem rótulos com classificação Grand Cru Classé, um dos mais altos em excelência do vilarejo.

We looked for the tourist office in order to book a tour in one of the hundred Chatêaux open to the public in Saint-Émilion. And we chose the Chatêau Villemaurine, open during that day, located 15 minute walk from the town center. The tour was around 20 euros per person and the reservation was made right there at the tourist office.

In Saint-Emilion there is its own classification of wine excellence. Chatêau Villemaurine has Grand Cru Classé labels, one of the highest in excellence.


Quase não temos fotos do tour! Mas foi um tour com mais ou menos 15 pessoas, guiado por uma guia francesa que falava inglês e nos mostrou as plantações e adegas subterrâneas do Chatêau, além da  parte de produção e no fim, a melhor parte: degustação de dois rótulos.

Adoramos, uma experiência única. Mas, esperávamos mais da parte final de degustação. Não foi uma fartura, sabe? A taurina aqui sentiu falta de taça cheia com direito a repeteco. E também o local da degustação poderia ter sido mais charmoso e não na salinha de recepção do Chatêau. De qualquer forma, pra quem reservou na hora, foi ótimo!

We almost don’t have photos of the tour! But it was a tour for about 15 people, guided by a French guide speaking in English, who showed us the underground cellars, the plantations, the production areas, and in the end, the best part: tasting two labels.
I loved it, a unique experience. But, we expected more from the final tasting part: more wine and the tasting place could have been more charming and not in the reception room of the Chatêau. Anyway, for those who booked on the same day, it was great!


Vinho direto da fonte. Que vinho maravilhoso! Encorpado, elegante, um primor! Descrição de quem não entende muito, mas ama um bom vinho!

What a wonderful wine! Full bodied, elegant, a treat! Description of who doesn’t understand much, but loves a good wine!



Já no final da tarde voltamos para a praça central pra curtir o movimento e comer um típico omelete francês com o vinho branco da região num dos restaurantes ao redor.

In the end of the day we returned to the main square to enjoy the sunset vibes eating a typical French omelet with the region’s white wine.


Então foi hora de voltar até a estação de trem e seguir rumo à Bordeaux, onde de fato estávamos hospedados. É claro que quem puder ficar mais tempo nessa cidadezinha e até dormir num chatêau, a experiência deve ser incrível! Mas quem não tiver muito tempo, como nós, um dia é suficiente para essa cidade morar no seu coração pra sempre! Que delicia é deixar se surpreender!

So it was time to go back to the train station and head for Bordeaux, where we were actually staying. Of course, anyone who can stay longer in this town and even sleep in a chatêau, the experience must be incredible! But who doesn’t have a lot of time, like us, one day is enough for this village to dwell in your heart forever! What a delight to be surprised!




Photos: Daniel Kazall

Beret & Boots: TK Maxx
Jumper: Zara
Jeans: All Saints
Bag: Coach
Sunglasses: Ray-Ban

Gostaram?!
Esse lugar tem um lugar guardado no meu coração! Um dia eu volto.

Au revoir, Saint-Émilion!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s